Início » Ex-trans tem experiência com Deus e volta a ser homem após 30 anos: “Ele preencheu meu vazio”

Ex-trans tem experiência com Deus e volta a ser homem após 30 anos: “Ele preencheu meu vazio”

0 comentário

 Ricardo Simms fez a transição para o sexo feminino, mas hoje está de volta ao sexo masculino declarando o amor de Jesus ao redor do mundo.

Nascido na Jamaica, Ricardo experimentou confusão de gênero. No jardim de infância, ele não gostava de jogar futebol e se sujar com os meninos. Ele gostava de brincar com bonecas. O professor deu um tapa na mão dele por brincar com o grupo errado. Foi quando Ricardo percebeu que algo estava errado com ele, conta.

Em uma festa de aniversário onde um menino e uma menina cortaram o bolo, os familiares o substituíram por outro menino, fazendo com que ele questionasse sua identidade pela primeira vez.

Então, um amigo adulto de sua mãe se aproximou dele depois da escola e se esfregou contra ele de maneira inadequada. “Um homem que deveria se sentir atraído por mulheres se sentiu atraído por mim”, diz Ricardo em um vídeo de Arianna Armor.

Ele não gostou de sua confusão de gênero e orou a Deus para tirá-la.

No ensino médio, Ricardo tinha pavor de valentões. Ele tinha uma voz feminina aguda e maneirismos femininos que, por mais que tentasse, não conseguia esconder. “Eu não sabia de onde veio isso”, diz ele. Ele nem fazia perguntas ao professor na aula para não provocar risadinhas sobre sua voz.

Ricardo não conseguia falar sinceramente com seus pais sobre suas lutas.

Então ele conheceu um jovem gay que havia “saído do armário” e em vez de esconder sua atração pelo mesmo sexo, ostentou e se proclamou “orgulhoso”. O cara era vivaz e admirado e apresentou Ricardo à subcultura LGBT.

“Percebi que existem outras pessoas como eu”, diz ele. “Então, entrei nesse novo mundo agora do estilo de vida LGBT” de festas, boates e confraternizações onde ele achava que seria aceito, apreciado e valorizado. Em vez disso, ele enfrentou avanços sexuais indesejados.

Em Paris, Ricardo completou a transição para o feminino.

“Isso me aterrorizou. Eu nunca lidei com esse trauma”, diz ele. “Fui abusado e não podia contar a ninguém sobre isso”, diz ele. “Eu tive que guardar esses segredos. Eu tive que viver com essas pessoas que me fizeram essas coisas cruéis porque era o único lugar onde eu poderia estar. Eu não poderia voltar para o mundo hetero.”

Repetidamente, as pessoas da comunidade gay lhe diziam: “Você está tão bonito, você parece uma garota”.

Logo ele respondeu às mensagens. Ele começou a se vestir como uma mulher e agir como um transgênero.

Mas na Jamaica ser trans era perigoso. “Meu amigo íntimo foi assassinado no meu país por causa de quem ele era”, diz Ricardo. “Isso me aterrorizou. Como ele morreu foi tão doloroso para mim.”

Assim, Ricardo mudou-se para Paris, para uma sociedade mais “aceita”. Foi aí que ele tomou os hormônios e fez a cirurgia para fazer a transição completa para uma mulher.

Ricardo tornou-se “Kerry Glamour” e foi uma voz da moda.

Ricardo se tornou Kerry Glamour, e passou tão bem que ninguém conseguia discernir seu gênero biológico. A felicidade durou um tempo, mas não durou.

“De alguma forma eu ainda não estava feliz, eu queria ainda mais, de alguma forma eu não estava satisfeito com tudo”, admitiu. “Fiz hormônios, coloquei nos seios, tudo. Ainda não era o suficiente. Eu queria outra coisa. Continuei procurando. Nada poderia me ajudar a preencher esse vazio.”

As coisas começaram a azedar quando ele experimentou maconha pela primeira vez. É irônico que ele tenha fumado pela primeira vez em Paris desde que veio da Jamaica, onde a maconha está em toda parte e praticamente de graça. Ele nunca quis usar drogas, mas ficou surpreso com o quão alto ele chegou.

“Lembrei-me de estar no ponto alto e começar a dançar até ao chão, me senti uma prostituta. Eu não tinha nenhum controle sobre mim mesmo e dançava como se estivesse em um clube de strip”, conta Ricardo.

De volta ao sexo masculino, Ricardo agora faz apelos apaixonados para que as pessoas não desfaçam seu gênero dado por Deus.

“Depois daquele momento, comecei a rezar e dizer a Deus: estou cansado. Eu quero ser livre. Deus, deixe-me ir. Eu quero ser uma pessoa ruim. Eu quero ser mau. Eu quero fazer tudo o que eles fizeram comigo, todo mundo que me machucou, eu quero ser ruim também.” Ao mesmo tempo, ele chorou. Foi um compromisso assustador com o mal, e desencadeou um tempo de tormento sem paralelo. Ricardo começou a ter visões e sonhos, e era difícil para ele discernir o que era real e o que era uma sobreposição do reino espiritual.

Um demônio com seu “rosto queimado” o confrontou: “Finalmente nos encontramos pessoalmente”, o demônio disse a ele. A partir desse momento, ele sentiu o desejo de cometer suicídio.

Ricardo tem sido muito público sobre a destransição.

Ele começou a ver pessoas trans que haviam falecido. As pessoas lhe davam mensagens sobre coisas em sua vida que só ele sabia. Ele diz que quase morreu depois de uma briga com alguns homens. O pior é que ele se sentia totalmente desprotegido por Deus, exposto a qualquer catástrofe que pudesse acontecer. Ele ficou devastado.

“Não me arrependi”, diz ele. “Eu me tornei arrependimento.”

Foi quando ele se voltou para Deus e aceitou Jesus Cristo como seu Salvador. Ricardo reverteu as cirurgias e tratamentos hormonais e tornou-se homem após 30 anos sendo trans.

Por ser influente na comunidade LGBT, Ricardo se sente culpado e quer corrigir os erros sendo uma influência para Deus.

“Eu tinha influência sobre as pessoas daquela comunidade. É por isso que estou fazendo o que estou fazendo agora”, diz Ricardo. “Eu sendo transparente pode ajudar pessoas que antes me admiravam. Se eu consigo, você também consegue”.

A multidão LGBT diz que você não pode ser feliz até que você se jogue sem reservas em sua “identidade” sexual. Para eles, Ricardo tem algumas palavras.

“Estou realmente feliz”, diz ele. “Eu não sabia que Deus dava esse tipo de paz, então o fato de Deus ter me dado esse tipo de paz, eu estou bem com isso. Deus te ama, e não importa se você é trans ou não. Quando eu precisava dele, eu o chamava, ele estava lá para mim.”

Fonte; Filhos de Deus com God Record

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações