Início » Ex-trans prega o Evangelho a comunidade LGBT no TikTok: “Deus não comete erros”

Ex-trans prega o Evangelho a comunidade LGBT no TikTok: “Deus não comete erros”

by Filhos de Deus
1 comment

Depois de ter vivido uma confusão sobre sua identidade sexual, Arianna Armor agora alcança milhões de pessoas nas redes sociais com a mensagem de que Deus pode “remover os desejos homossexuais e a disforia de gênero”.

Armor afirma que aqueles que lutam com a sua identidade, devem buscar a Deus, pois testemunha em sua própria vida as mudanças produzidas pela , depois de ter vivido como lésbica por 14 anos e ter assumido a identidade masculina.

Ela agora está em uma missão para compartilhar seu testemunho com pessoas da comunidade LGBTQ.

“Há pessoas que precisam de mim”,

banner

Nascida em uma família desestruturada, com pais viciados em drogas, ela foi adotada por uma família cristã em 2005, quando passou a frequentar a igreja. Mas aos 7 anos ela se assumiu lésbica

“Fui LGBTQ por 16 anos. Fui lésbica por 14 anos e transgênero de mulher para homem por 2 anos, mas também cresci em uma família cristã religiosa”, explica ela em um vídeo.

“Você vai à igreja uma vez por semana, veste sua melhor roupa de domingo, ouve o pastor, conversa fiada e depois vai para casa e vive sua vida como quiser pelos próximos seis dias.”

Arianna explicou que acabou se afastando do cristianismo.

“Todo mundo era falso e cruel e eu acreditava que Deus me odiava e me mandaria para o inferno”, ela escreve nas redes sociais .

Arianna também lutou contra ansiedade, depressão e até mesmo problemas com sua imagem.

“Perguntei a Deus: ‘Por que você me fez uma menina? Por que não pude nascer menino? Este foi o primeiro sinal do espírito de Jezabel em minha vida. O inimigo não pôde me impedir de nascer, então ele tinha que tentar outra coisa. Ele enviou demônios para minha vida desde jovem”, ela compartilha em um vídeo online.

Aos 17 anos, Arianna diz que espíritos demoníacos a convenceram de que Deus a fez uma menina por engano. “Mas Deus não comete erros”, ela agora entende.

De acordo com o God Reports, nesse ponto de confusão ela decidiu assumir uma identidade masculina, se apresentando como “James”, além de passar a usar medicamentos para ganhar massa muscular e mudar sua aparência física.

“O diabo roubou minha identidade de mim”, explica ela. “Através de tudo isso, eu ainda estava sofrendo de tristeza.”
“Eu estava realmente perdida. Eu estava deprimida, tinha ansiedade. Eu estava tomando pílulas. Eu estava fazendo qualquer coisa e tudo para lidar com tudo o que eu tinha passado”, diz ela em outro vídeo. “Drogas, álcool. Você escolhe, eu estava fazendo isso.”

As coisas mudaram para ela em 2019, quando alguém a convidou para um evento chamado The Supernatural Life em Altamonte Springs, Flórida.

“Agora, quando conheci Jesus, eu ainda era um homem trans. Isso foi em 2019. Tive um encontro louco, coisas loucas aconteceram e eu sabia que precisava conhecer Jesus. Não religião, mas Jesus”, explica ela. “Então, por um ano inteiro, eu estava perseguindo Jesus enquanto ainda era trans”.

A essa altura, Armor estava orando, passando tempo com Deus e lendo a Palavra. “Tudo se resume a uma escolha”, diz ela. “Decidi seguir a Cristo.”

Armor entregou sua vida a Deus em setembro de 2020.

“Estou pronto para me libertar dessa coisa que roubou minha identidade. Estou pronto para ser quem sou porque Deus me criou por uma razão e estou cansado de olhar para o meu corpo e pensar que foi um erro. Estou cansado de andar de cabeça baixa e me odiar”, disse ela em 2020.

Agora, milhões ouvem a Armor compartilhar verdades contundentes no TikTok. Mais recentemente, ela compartilhou uma mensagem de que, embora existam pessoas LGBTQ que buscam Deus e religião, sua própria experiência diz a ela que você não pode ser LGBTQ e ser cristão.

1 comment

Marcelo junho 15, 2023 - 11:16 pm

Glórias ao eterno e soberano YAUH PAI…por sua libertação YAUSHA MASHIACH i filho quer nos dar a salvação .

Responder

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais